Breacos Futebol Show – O Esquadrão Laranja

Fundado em 1999, o Breacos Futebol Show é o time de futsal em atividade mais antigo dos campeonatos internos da Cásper Líbero. Se não me engano, é tb a equipe que está mais tempo em atividade: 7 anos initerruptos.

O Breacos tem uma filosofia que estrapola as quatro linhas da quadra: reunir os amigos para beber umas geladas após todos jogos disputados, seja para comemorar a vitória ou para afogar as mágoas da derrota. Essa tradição vem se mantendo desde seu primeiro jogo e é o que mantém o time unido (além do bom futebol de seus jogadores, claro!).

Sua primeira formação foi: Eu, Armando, Flavinho, Cabral (todos ex- Kandangos Boys), Rochinha (ex-Saladão) e Alê Bello (ex- Brothers) e Renato Habib.

Logo no seu primeiro ano de vida, o Esquadrão Laranja conquistou seu primeiro título vencendo a Copa Mané Garrincha sem perder um jogo sequer. O campeonato foi disputado por pontos corridos e o Breacos sagrou-se campeão com duas rodadas de antecedência. 

breacos_1999Em pé: Anselmo, Cabral, Alê Bello
Agachados: Rochinha, Armando, Renato Habib

Em 2000 veio o segundo título, o da Copa Gérson. Vale destacar a final desse campeonato, quando Breacos e MCBS empataram em 4 a 4. Quem acabou levantando a taça foi o Breacos, por ter campanha melhor que a do seu rival.

breacos_2001 Em pé: Thiagão, Allen, Rochinha, Anselmo
Agachados: Alê Bello, Renato Habib, Armando

O terceiro título foi conquistado em 2003. O Breacos venceu na final um dos seus maiores rivais: o Lixo Frito. Tudo bem que Lixo Frito deixou de ser freguês e já virou cliente preferencial do Esquadrão Laranja, mas é sempre bom ganhar de um rival, principalmente na decisão de um campeonato. Não sei muitos detalhes dessa conquista pq não participei dela por estar morando fora.

Com 7 anos de vida e três títulos conquistados, o Breacos Futebol Show fez e continuará fazendo história nos campeonatos internos da Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. 

Amargo gosto da derrota

Com uma campanha modesta, porém vitoriosa, o Breacos Futebol Show chegou em mais uma final. O título da Copa Gérson de 2005 foi disputado contra os Rober Bills, outro time de tradição da Cásper.

Em 1999, no seu primeiro campeonato disputado, o Breacos foi surpreendido e eliminado nas semi-finais pelo Rober Bills. O troco foi dado no ano seguinte, quando o Esquadrão Laranja eliminou seus rivais na Copa Gérson de 2000.

Cinco anos depois as equipes tornariam a se encontrar novamente. Tanto Breacos quanto Rober Bills contavam jogadores experientes (praticamente todos são ex-alunos) e extremamente técnicos. O Esquadrão Laranja tinha como destaque o pivô Diego e os Rober Bills contavam com excelente arqueiro Marcelo.

O Breacos contava com dois goleiros: eu e Cassius. Como o Cassius havia jogado a partida anterior e estava em muito melhor forma do que eu, decidi não revezar com ele, mantendo-o durante toda a partida.

Movidos por muita rivalidade, os dois times fizeram um jogo digno de final de campeonato. O Breacos abriu o placar com Armando. Logo em seguida, Diego ampliou a vantagem para 2×0. O Rober Bills tentava, mas poucas vezes chegaram na meta do goleiro Cassius. O primeiro tempo virou 2×0 para o Breacos.

No segundo tempo o Rober Bills veio pra cima e em menos de 10 minutos já havia empatado a partida em 2×2. O Breacos estava pertido em quadra e não demorou para o time levar o terceiro gol. Perdendo por 3×2, não tínhamos outra escolha a ser atacar com tudo. Faltando 30 segundos para o final da partida Diego, melhor jogador em quadra, empatou para o Esquadrão Laranja. O jogo terminou 3×3 e a decisão foi para os pênaltis.

O arqueiro breaco Cassius defende a primeira cobrança dos pênaltis. Diego marca para o Breacos. O jogador do Rober Bills converte o segundo pênalti. Tarian faz o segundo do Breacos. Outro jogador marca para o RB – 2×2. Gustavo vai para a cobrança que daria o título ao Breacos, mas Marcelo (que havia feito uma excelente partida) defende com a cara a bomba do ala breaco.

Agora as cobranças seriam alternadas: uma pra cada equipe. Cada time cobrou, sem exagero, umas 7 vezes. Lá pela oitava cobrança o goleiro Cassius defende um chute, mas o juiz Ferdi manda voltar alegando que o arqueiro breaco havia se adiantado. Depois de muita discussão as cobranças voltaram. Após outras 3 ou 4 cobranças foi a vez de Tarian perder para o Breacos. Marcelo, goleiro do Rober Bills, adiantou-se tanto quanto o Cassius na defesa anulada, porém o árbitro Ferdi validou o lance. O Rober Bills sagrou-se campeão da Copa Gérson de 2005.

Para o Esquadrão Laranja restou apenas a lamentação de perder uma final .O time havia se superado em várias partidas durante a caminhada até a última partida, mas uma falha de arbitragem manchou um a final de um campeonato tão bem disputado. 
Independente da falha da arbitragem, o Rober Bills mostrou muita garra em reverter um placar adverso e também teve seus méritos para chegar na finalíssima.

Parabéns Rober Bills pelo bi-campeonato da Copa Gérson.

Parabéns Breacos Futebol Show por mostrar que futebol não se joga só com força e técnica, mas também com amizade. 

breacos-2005-tratadaEm pé: Cassius, Rochinha, Diego, Gavini, Anselmo
Agachados: Rogério, Armando, Tarian, Gustavo

Tudo muda

Segunda-feira passada (05/04) fui à Casper para o jogo do Breacos. Estava eu subindo pelo elevador quando o mesmo pára no 3º andar. A porta se abre e o que eu vejo? Uma Praça de Alimentação. Isso mesmo. Uma Praça de Alimentação em pleno 3º andar do prédio da Fundação Cásper Líbero.

Confesso que depois disso desci no 5º andar com medo da faculdade não estar mais lá. Ela até estava, mas não tinha um SER VIVO que eu já tinho visto na vida antes. Fiquei vagando pelos corredores com o intuito de encontrar algum colega. Foi quando eu me liguei que eu já tiha me formado há mais de dois anos.

Algumas coisas não são as mesmas tb na facul. Onde era a Coordenadoria de Publicidade e Propaganda agora é um tal de “Centro Integrado de Pesquisa” ou coisa parecida. O Xerox virou “Central de Cópias” ( isso é frescura, vai! ). Ah! Agora tem DUAS salas de informática.

E a quadra, então?? As paredes que circundam o lugar das pelejas foram todas pintadas de azul. Mas o “tchan” está no piso, que foi trocado. A lixa que nos esfolava a cada tombo deu lugar à um chão liso e inofensivo. Pra vc’s terem uma idéia, nem de sapato pode pisar lá. Todo mundo que quis se adentrar ao “Birdman La Bombonera Arena” teve tirar seus calçados, salvo aqueles que estavam com tênis de solado apropriado. Até sugeri para mudar o nome da quadra para “Birdman Tatami Arena” (pra quem não sabe o Homem Pássaro é o mascote da Cásper).

Ah! Já ia esquecendo. Pouco antes do meu jogo começar com quem eu me deparo? Com o Igor! Aquele mesmo que jogou “sem querer” uma bomba no meu cochonete e no da Renata no JUCA de 2001. Desde aquele episódio nunca mais tinha falado com ele. Só que dessa vez a gente se encontrou e conversamos numa boa, como se nada tivesse acontecido.

Agora a pior parte: o jogo. Tomamos uma piaba. Como é de costume, o Breacos ADORA perder pra time de bixos. E dessa vez não foi diferente: 10 a 3 para os primeiro anistas! Não vou ficar falando como foi o jogo. Quem quiser saber acesse: www.atleticacasper.com.br .

Fazia mais de 10 meses que eu não jogava salão. Me senti enferrujado e a bola parecia estar 5 vezes mais rápida.

Com esse resultado, estamos praticamente fora do campeonato. Precismos vencer o próximo jogo por uma larga vantagem de gols e torcer por uma improvável combinação de resultados.

É isso.

Até mais.

Trampo

Desculpa não ter avisado ninguém, mas não tive tempo de avisar que nessa segunda-feira eu comecei a trampar.

Estou na Kotra – Divisão Comercial do Consulado da Coréia. Fiquei sabendo da vaga através de uma amiga da Renata, a Marina.

A Kotra faz pesquisas de mercado para empresas coreanas que querem exportar seus produtos para o Brasil.

Meu contrato é temporário e vence dia 10 de maio. Depois disso iremos decidir se continuo por lá ou não.
Sei que esse trabalho NÃO TEM NADA A VER com o que eu já fiz até agora, mas até agora não apareceu outra oportunidade. Além do que o escritório é perto de casa.

MUITO obrigado pra quem me ajudou. Pode ser que a gente vai ter que se falar em breve novamente…

Mudando o assunto

Vejam o texto de estréia do Breacos:

Pacote Laranja – O Breacos apresenta 5 novas contratações para buscar o Tri da Gérson.

escrito por Renato Rocha (supervisão de Daniel “Galeano” Thompson)

Finalmente um texto que interessa no site da Atlética. O Breacos vem renovado para mais um ano de campeonatos casperianos. No início deste ano, a diretoria breaqueira contratou nada menos que cinco jogadores para reforçar o esquadrão laranja, que no ano passado ganhou a Copa Gérson e a Copa Cásper.

Cassius, Armando, Alê, Renato Karam, Rodrigo Jatene, Rochinha e Adriano “Jordi” ganharam a companhia de cinco companheiros. Velhos rivais, velhos companheiros ou velhos sonhos agora estão no time que mais títulos faturou em campeonatos organizados pela AAA Jesse Owens. Foram duas Copas Gérson, uma Copa Mané Garrincha e uma Copa Cásper.

A primeira contratação foi a de Tarian Chaud (ex-Athletic, ex-Kichute e ex-Aerokem) ainda no ano passado, mas o “Turco” ainda não poderá jogar, foi chamado para uma operação secreta na Espanha e só deve voltar no final de junho. Informações sigilosas dizem que será num trem.

A volta de Anselmo da Inglaterra, após temporada no Arsenal (e lá ele jogava na linha) deixará muito atacante irritado. O ótimo goleiro está em forma e defenderá tudo e o impossível como sempre fez. Apesar da boa forma, ele partipará de um amigável rodízio com o Cassius.

Diego Zanotti (ex-Lixo, ex-Ursinhos e ex- um monte de time) será o ponto de equilíbrio na frente e promete muita raça e empenho nos jogos com a camisa laranja.

Fernando Gavini (ex-Lixo e ex-MCBS) é talvez a contratação mais polêmica da história breaqueira, afinal ele comandava o maior arqui-rival que o Breacos já teve, o Lixo Frito. Mas, Gavini afirmou quem vem para somar e jogar entre amigos. Gavini é um excelente reforço no pós-jogo, afinal o Breacos para a temporada perdeu André Cardoso.

Daniel “Galeano” Thompson vem muito feliz para a nova equipe. “Estou entre amigos e os adversários vão babar em cima de gente. Isso é bom, assim posso bater ainda mais” , comentou um tranqüilo jogador na festa de apresentação. Assim, como Gavini, Daniel é mais um reforço para o pós-jogo.

Com esta nova formação, o Breacos reedita também a base da Atlética de 1999, que realizou os primeiros torneios casperianos (até este ano a bem sucedida Liga Independente de Futebol, era a responsável pelos torneios). Galeano, Gavini, Armando e Renato Karam eram da gestão que comandou a Atlética durante 1999 e 2000.

Trinta anos depois da Laranja Mecânica, o Breacos apresenta sua Laranja Bêbada. Com amigos, companheiros, bebuns ou jogadores, não importa, a máquina laranja vem pra ganhar novamente e bebemorar depois.

———————-

É isso aí.

Beijos e abraços!

Sel