“Ui ui ui eu tenho Libertadores ui ui ui”

Aos meus amigos torcedores do Clube Atlético Mineiro,

Agora que passou (um pouco) da euforia pela conquista de quarta-feira, venho aqui dar-lhes as boas vindas ao clubinho “Ui ui ui eu tenho Libertadores ui ui ui”.

À partir de agora vocês terão um lugar cativo no panteão dos imortais torcedores de times que venceram a “principal competição da América”.

Portanto, a partir de agora, toda vez que for iniciar uma discussão sobre futebol com qualquer outro torcedor (não importa se ele torce por um time da quarta divisão capixaba ou para um finalista da Champions League) você vai fazer isso:

Antes de tragar seu charuto cubano, pergunte (com ar blasé): “Senhor (pode usar o “Sir” ou “Monsieur” também), seu time tem Libertadores?”

Em caso de resposta negativa, dê uma risada de deboche e, entre um gole e outro da sua dose de Blue Label, comece a falar da espetacular vitória do cavalo Monty Pass no Grand National de 2003, na Inglaterra. Caso a outra pessoa discorde de você (afinal a vitória do Monty’s Pass nem foi tãããão espetacular assim), interrompa-o no meio da argumentação e refaça a pergunta: “Seu time tem Libertadores?”. Repita essa pergunta à exaustão sempre que coitado discordar de sua pessoa.

Caso o pobre diabo torça por um time que já venceu a Libertadores, pergunte a ele se existia TV à época ou se ele teve que escutar tudo pelo rádio.

Essas dicas são só pra vcs começaram a se enturmar no clubinho e não sentirem tão deslocados. Com o tempo pegarão o jeitão da coisa.

Cordialmente,

Anselmo Zacarias Portes
Campeão da Libertadores desde 2012

E agora?

Image

Fantasy Premier League – Season 2011-2012

Péssima performance comparando com a do ano passado.

Esse foi meu time na primeira rodada:

E esse foi meu time na última rodada:

Fantasy Premier League – Season 2010-2011

This was my performance :

Na liga “Brasil” cheguei a ficar em 44º lugar pouco antes do final. Mas fui muito mal nas últimas 3 rodadas e acabei despencando para 98.

No geral fiquei em 143.377º de um total de mais de 2 milhões de participantes.

Próxima temporada tem mais! Agora vamos para o Cartola FC!

Supergoleiro

Minha seleção para Copa 2010

São 23 atletas que irão fazer parte da seleção no mundial. Mas serão chamados 7 a mais, para uma eventual emergência (esses eu marquei um asterísco).

Vejam como ficou a minha seleção:

Goleiros:
Júlio Cesar
Victor
Marcos

Laterais:
Maicon
Daniel Alves
Roberto Carlos

Zagueiros:
Lúcio
Juan
Thiago Silva
Luisão
Miranda*
Alex Silva*

Meio campo:
Gilberto Silva
Thiago Motta
Kaká
Ganso
Júlio Baptista
Elano
Ramirez
Elias*
Hernanes*
Zé Roberto*

Atacantes:
Robinho
Luís Fabiano
Nilmar
Grafite
Fred
Pato
Neymar*
Kleber Gladiador*

Corinthians 1º Campeão Mundial de Clubes

Amigos corintianos e anti corintianos. Por mais que alguns de vocês esperneiem, gritem, chorem, não adianta. Esse ano fez dez anos que o Coringão levantou a taça de Campeão Mundial.

Já travei discussões homéricas com aqueles que não reconhecem o fato.  Mas eu digo à eles que se não querem reconhecer o título, tudo bem. Eles tem todo o direito! Eu, por exemplo, não acho que o SPFC ganhou nenhuma Libertadores. Palmeiras? Pffff… Nem Paulista eles venceram, coitados.

Mas o fato de eu achar que os arqui rivais não ganharam nada não vai fazer o troféu deles desaparecer, vai?

Então, o inverso é a meeeesma coisa.

O que importa é que o Coringão foi disputar o primeiro campeonato Mundial de forma justa e o venceu de forma mais que honesta. Ponto final e fim de discussão.

Li esse texto no blog do Milton Neves que explica muito bem como foi aquele campeonato disputado em Janeiro de 2000.

Não tem jeito. Corinthians: há dez anos, o primeiro campeão Mundial Interclubes

por Roberto Zanin, colunista do Terceiro Tempo

Além das festas do centenário, 2010 é importante para o Sport Club Corinthians Paulista, porque nele se comemoram os dez anos da conquista mais importante da história do clube: o Primeiro Campeonato Mundial Interclubes, da FIFA.

Em janeiro de 2000, oito clubes de todas as partes do planeta se reuniram no Rio e em São Paulo para a competição. Talvez nunca haverá, em outro torneio, uma plêiade de craques como a daquele campeonato: o Real Madrid, espécie de seleção multinacional: Roberto Carlos, Casillas, Hierro, Raul, Fernando Redondo e Anelka; no banco, reservas de luxo como Sávio, Morientes, e até um promissor jovem camaronês, Samuel Eto´o .

O Manchester United tinha jogadores como Gary Nevile, Dwight Yorke, Ryan Giggs, Andy Cole e o então jovem astro David Beckham. O Vasco da Gama, com um time reforçado para ganhar o título inédito: Mauro Galvão, Juninho Pernambucano, Ramon, Edmundo e Romário, com jogadores como Donizete e Viola no banco.

Para encarar essa turma, o mosqueteiro escalava o nervos de aço Dida, o incansável Índio, o vigoroso Fabio Luciano, o experiente Adilson Baptista e o preciso Kléber.

O meio campo com os clássicos Vampeta e Rincon, o cerebral Ricardinho e o insinuante Marcelinho. No ataque, o lépido Edilson (O bola de ouro do Mundial) e o artilheiro Luisão.

O Mundial teve lances míticos, históricos. Cito dois: o fantástico gol de Edmundo, contra o Manchester:

e o de Edilson, contra o Real Madrid, com direito a caneta em Karembeu, num dos maiores jogos já vistos no Brasil:

Mas como tudo o que envolve o Corinthians, os adversários jamais admitem a importância do título. Mas o pior para eles é que todos os seus argumentos são facilmente desmontados.

Falam do “gol” de Fábio Luciano, em que a bola realmente não entrou, mas se esquecem do gol legítimo do zagueiro João Carlos que daria a vitória contra o Real Madrid, que o árbitro anulou.

Outra objeção: por que o Corinthians foi o representante do Brasil?

Como toda competição da FIFA, a entidade garante vaga ao representante do país-sede. Como o campeão brasileiro de 99 seria conhecido às portas do Mundial, optou-se por indicar o campeão de 98.

Por sorte e competência, o Corinthians entrou como campeão de 98 e confirmou o acerto da escolha ganhando, também, o Brasileirão de 99.

O Vasco entrou como campeão da Libertadores de 98. O Manchester participou como campeão europeu de 99 e o Real como campeão intercontinental de 98.

Aliás, o único país que considera campeão mundial o vencedor do charmoso jogo entre campeão da Libertadores e campeão europeu é o Brasil. Veja o site do Real Madrid: http://www.realmadrid.com/cs/Satellite/es/Club/1193040475224/PalmaresTotal/Palmares.htm; ou o do Boca Juniors: http://www.bocajuniors.com.ar/el-club/titulos

Se o amigo leitor consultar o site do Milan ou do Barcelona, encontrará o mesmo adjetivo, “Intercontinental”, para designar a taça obtida em jogo com oponentes de apenas dois continentes.

Talvez seja o complexo de vira-lata, como dizia Nelson Rodrigues, mas parece que dizer que o Flamengo ou o Grêmio, por exemplo, são campeões intercontinentais diminuiria o feito. Mas trata-se de questão elementar. Basta consultar o dicionário.

O Houaiss, por exemplo, explica: “Mundial: relativo ao mundo como um todo, à terra inteira; geral, universal”. Ou seja: de fato, com a presença de equipes de todos os continentes, a competição de 2000, organizada pela FIFA, geraria o primeiro campeão mundial.

Outro argumento de pouca inteligência é de que o título do Corinthians não é legítimo por ele não ter vencido a Libertadores. Ora, então vamos considerar ilegítimos os títulos do Uruguai, em 30; da Itália, em 34; da Inglaterra, em 66; da Alemanha, em 74; da Argentina, em 78 e da França, em 98?

Essas seleções não disputaram as eliminatórias, por que eram anfitriões da Copa e foram campeãs.

O que aumenta ainda mais a façanha do Corinthians é que, apesar do campeonato ter sido disputado no Brasil, o alvinegro disputou o título na casa do adversário.

A presença de 30 mil corinthianos que fizeram a segunda invasão ao Maracanã, após a inigualável romaria de 76, ajudou a diminuir essa desvantagem.

O jogo foi cardíaco, tenso. Afinal, com as duplas de ataque que estavam em campo, qualquer erro seria fatal. O Corinthians, que já iniciara o torneio com o elenco cansado, combalido, teve que suportar, também, a prorrogação. Nos pênaltis, com gols de Rincón, Fernando Baiano, Luisão e Edu, uma defesa de Dida e o erro de Edmundo, o Mundo se tornava preto e branco. O capitão Rincón recebeu o troféu do presidente da FIFA, Joseph Blatter.

Parabéns, Corinthians! Cem anos de vida. Dez anos do Mundial.