Wildest Dreams – Iron Maiden

I’m gonna organize some changes in my life
I’m gonna exorcise the demons of my past
I’m gonna take the car and hit the open road
I’m feeling ready to just open up and go
And I just feel I can be anything
That all I might ever wish to be
And fantasize just what I want to be
Make my wildest dreams come true
I’m on my way
Out on my own again
I’m on my way
Out on the road again
When I remember back to how that things just used to be
And I was stuck inside a shroud of misery
I felt I’d disappeared so deep inside myself
I couldn’t find a way to break away my hell
When I’m feeling down and low
I vow I’ll never be the same again
I just remember what I am
And visualize just what I’m gonna be
I’m on my way
Out on my own again
I’m on my way
Out on the road again
I’m on my way
Out on my own again
I’m on my way
I’m gonna breakaway

I’m gonna organize some changes in my life
I’m gonna exorcise the demons of my past
I’m gonna take the car and hit the open road
I’m feeling ready to just open up and go

And I just feel I can be anything
That all I might ever wish to be
And fantasize just what I want to be
Make my wildest dreams come true

I’m on my way
Out on my own again
I’m on my way
Out on the road again

When I remember back to how that things just used to be:
And I was stuck inside a shroud of misery
I felt I’d disappeared so deep inside myself
I couldn’t find a way to break away my hell

When I’m feeling down and low
I vow I’ll never be the same again
I just remember what I am
And visualize just what I’m gonna be

I’m on my way
Out on my own again
I’m on my way
Out on the road again

I’m on my way
Out on my own again
I’m on my way
I’m gonna breakaway

“Iron Maiden’s gonna get you, no matter how far”

E lá fomos eu, Bol, Marcos e Lu para mais show do Iron. Ano passado, nessa mesma formação, tínhamos visto a primeira passagem deles pelo Brasil na turnê “Somewhere Back in Time”. Nessa segunda passagem eles mudaram 5 músicas do set list: colocaram a “Wrathchild”, “Children of Damned”, “Phantom of the Opera”, “The Evil that men do” e “Sancutary”.

O show começava às 20h e saímos de Moema às 18h30. Só que parece que todo mundo teve a mesma idéia que a gente. Conclusão: demoramos 1 hora e meia pra chegar no Autódromo de Interlagos.

Chegamos em cima da hora e corremos apreensivos até a pista premium. Geralmente o Iron não costuma atrasar, então estávamos quase certos que ao menos a abertura com a “Aces High” íamos perder.

Mas parece que os caras escutaram nossas preces (e de mais uma galera) e atrasaram, propositadamente, o início do show.

Os caras começaram a tocar às 21h. Depois das 3 primeiras músicas Bruce Dickinson se desculpou pelo atraso e só o fez para todos pudessem ver o espetáculo desde o início. Também pediu desculpas pelo telão que estava meio zoado e pela ausência dos fogos de artíficio que ficaram molhados por causa da chuva.

Como estávamos na Pista Premium, não precisamos nos acotovelar pra ficar perto do palco. No entanto, essa parte “mais chique” estava um lamaçal só. A anta aqui resolveu ir com um tênis que é furado na sola mas tem uma tela de proteção. Como se não bastasse, coloquei um meia branca. Aí ficou bonita a coisa. Estou pensando seriamente em jogar o par de meias e o tênis fora.

O show em si foi ANIMAL. Com a mesma empolgação de sempre os caras tocaram vários clássicos. Minhas 3 músicas favoritas estavam lá: “The Trooper”, “Hallowed be thy name” e “The Evil that men do”. Os pontos altos foram:

1. Introdução da “Aces High

Essa música é precedida por parte de um discurso de Wiston Churchill, primeiro ministro da Inglaterra durante a 2ª Guerra Mundial.

2. O início da “The Trooper”.

Os três guitarritas e o baixista ficaram alinhados bem na frente do palco, como num front the batalha. Ao fundo e em cima do cenário, o Bruce (trajado de soldado da 2ª Guerra) agitava a bandeira do Reino Unido. Tudo isso com os riffs da guitarra ao fundo… Simplesmente SENSACIONAL.

3. “The Rime of the Ancient Mariner

Essa música é baseada num poema de Samuel Taylor Coleridge. Além da melodia belíssima, a letra tb é de arrepiar! Isso sem contar que ela dura por volta de 13 minutos. Uma obra prima!

4. Início da “Fear of the Dark”.

É sempre assim: a galera sempre canta o solo inicial da música com isqueiros e celulares levantados e ligados. A platéia vira um mar de luz. Simplesmente A-NI-MAL!

O show acabou cerca de 23h e demoramos mais de uma hora para conseguir sair do local. Milagrosamente encontramos um táxi logo de cara, que nos levou de volta.

Fui dormir mais 1h30 no domingo e ainda estou sofrendo com a recuperação do show. Foi a sexta vez que eu vejo os caras, mas estou certo que na próxima estarei lá de novo.

atgaaabo8kyhhqmft8kdtwmzdlj3_5ywyjiczk17i9jzefcapameuvxwwa9ap0t9rgk8v164a5ej2bkiwzozgy14j3f-ajtu9vcucyswcnpkpctotzt_th8mpoj82g
Steve Harris (baixista) com uma camisa do Timão.
Já era fã do cara. Agora então…

Me engana que eu gosto

Proximo domingo, dia 15 de Março, tem outro show do Iron Maiden aqui em SP. Será a sexta vez que vou ver os caras.

Muitos mitos e histórias envolvem essa banda, desde que eles eram satanistas até o fato de que Steve Harris, baixista e “líder” do grupo, jogou nas categorias de base do West Ham (time do leste de Londres).Até aí tudo bem.

Mas tem uma coisa que eu nao engulo: Bruce Dickinson, vocalista do Maiden, pilota o avião da banda! O Ed Force One nada mais é que um Boeing 757!! Isso mesmo: um Boeing!!! Uma coisa é vc tirar brevê pra pilotar ultraleve, monomotor, bimotor… Agora vc’s estão me dizendo que o cara pilota um BOEING? Ah não! Pra mim isso é demais!

atgaaadqpqycu220qox87avbq7da2er6x0pnv_ombyghyf9o7au1axyav8hd9gsxkztsn2gzufj_50qkbzbqx_awervcajtu9vbgq9fuoplg2djfupqe_svefkl-oq
Esse mané (o da esquerda)…

ed-force-one
…pilota esse trambolho! Ah! Fala sério!

O show (continuação)

Posso dizer que eu vi o Iron pela quinta vez no quinto dos infernos. É que o show dessa vez foi no Palestra Itália, estádio daquele timeco que usa camisa cor de grifa texto, tem como mascote um animal imundo e atende pelo nome de uma árvore.

Fomos em 4 pessoas: eu, Marcos, Lu e o Bol. O Bol veio de Assis só pra ver o show e com certeza não se arrependeu!

Dessa vez fiquei na “pista especial”. Olha só que beleza. Pelo nome, até pensei que iam servir canapés de salmão e Moet Chandon. Pffff… Malemá rolava uma cerveja a 5 conto cada!

O “tchan” da “pista especial” é que vc tinha um acesso ao lado do palco e já ficava ali pertinho da turma do gargarejo. Alguns metros mais pra trás existia uma grade que nos separava dos menos favorecidos monetariamente. É claro que essa grade era constantemente viagiada por seguranças-brucutus. Afinal, gastei meu rico dinheirinho pra ter tranqüilidade e sossego perto do palco.

Pergunta: Quem diabos quer tranqüilidade e sossego num show do Iron Maiden?

Resposta: Sei lá! Só escrevi isso pq achei legal, uai. E o blog é meu e eu escrevo o que me der na telha!

Quem abriu o show do Iron foi a Lauren Harris. Ela, além de ser gostosa, é filha do Steve Harris. (pra quem não sabe, o Steve Harris é baixista e líder do Iron). É claro que a Lauren só conseguiu subir no palco pq o papai dela iria tocar depois, já que som dela é uma tremenda de uma porcaria. Mas, convenhamos: ela já gata e filha do Steve Harris? Pra quê mais?? 

 
Lauren Harris 

Vamos ao que interessa: o show do Iron. Bom, posso afirmar com toda certeza do universo e cercanias que foi o melhor set list que eu já presenciei. Pra mim só não foi perfeito por um motivo: tempo. É que, na minha opinião, um show perfeito do Iron teria que durar algo em torno de 5 ou 6 horas.

O set list foi o mesmo que eu havia postado aqui, uns meses atrás. Os caras tocaram aRime of the Ancient Mariner!!! Pô! Quando eu iria ter a chance de escutar uma música de 13 minutos ao vivo? Sem contar que tocaram vários clássicos que dificilmente irei escutar em outra turnê, como: Wasted Years, Powerslave, Heaven can wait, Moonchild e a Clairvoyant.

A presença de palco dos caras continua a mesma. O Bruce (vocal) pula e se mexe mais que um sagui com oxiúrus. Dave Murray (guitarra), Janick Gers (guitarra), Adrian Smith (guitarra) e Steve Harris tb fazem sua parte. Ah, sim! O Nicko McBrain (baterista) tb dá sua colaboração!

Enfim, foi uma apresentação digna do Iron, que costuma tocar sempre com muita vontade e nunca deixa de retribuir a energia passada pelos fãs.

Depois do show fomos jantar num pizzaria ali perto e , é claro, comentar sobre o espetáculo. Mesmo depois de horas conversando sobre tudo aquilo, fiquei um bom tempo pensando sobre tudo o que eu passei com o Iron Maiden. Pensei muito sobre os shows que eu fui, os CD’s que eu comprei e ganhei, as fitas K-7 gravadas pra poder escutar no toca-fita do Uno da minha mãe, os clipes (todos horríveis, por sinal) que assisti, as camisetas com o Eddie, o tempo gasto desenhando IRON MAIDEN (com a fonte característica da banda) nas capas da minhas apostilas de colegial…

E mesmo depois de tudo isso eu às vezes me pego perguntando: Qdo será que eles voltam, hein?

O show

3 de Março de 2008. Esse dia vai ficar marcado na minha memória pra sempre. Não por causa da derrota do Coringão no dérbi, mas por mais um show do Iron Maiden.

Para vc’s entenderem um pouco sobre minha paixão pelo Iron, vamos voltar um pouco ao tempo. Vou escrever um breve relato sobre os shows que eu vi anteriormente:

A primeira foi no Monsters of Rock de 1996. Na época ainda morando em Assis, eu e o Marcos pegamos uma excursão que saía de Ourinhos (uns 90km da nossa cidade) para ver o Iron no Pacaembu. Lembro perfeitamente dos integrantes da banda entrando no palco ao som da “Man on the Edge”, com Blaze Bailey no vocal.

O segundo show foi em 1998, no Anhembi em SP. Se não me engano a formação do Iron ainda era a mesma de dois anos atrás, mas dessa vez eles vieram ao Brasil pra promover o recém lançado álbum “Virtual XI”. Dessa vez eles abriram com a “Futureal”. Ah, sim: o Marcos também estava lá comigo.

O terceira aparição da banda de 96 pra cá foi no Rock in Rio, em janeiro de 2001. Ganhei um ingresso do meu amigo Mali, que tinha acabado de assinar a AOL e, assim, conseguiu uma entrada para o espetáculo. Na época a AOL era uma das patrocinadoras do evento. Esse show, em termos de espetáculo, foi o melhor. Também pudera: eram quase 250 mil pessoas gritando “Olê, olê, olê, olê… Maiden, Maiden”… Além do que todo o show estava sendo gravado para ser lançado em DVD posteriormente e isso deu ainda mais ânimo para os integrantes. Só não foi perfeito pq acabei fazendo um “bate-e-volta” sozinho ao RJ e foi bem cansativo.

Fui rever o Iron pela quarta vez em 2003, quando estava morando em Londres. Assim que eu fiquei sabendo que eles iam tocar na capital inglesa, tratei de ir comprar os ingressos. 
Nem preciso falar que em termos de organização esse foi o melhor de todos. O som também estava bom já que o lugar era fechado (tocaram no Earl’s Court Arena). 
Esse show foi da turnê “Death on the Road”, de lançamento do álbum “Dance of Death”. A supresa ficou por conta de uma música que ninguém esperava ser tocada: “Lord of the Flies”, do álbum “The X Factor”. Pra mim foi uma grata surpresa, já que eu AMO esse som.

…continua no próximo post

Set list

Ainda nao é oficial, mas andam especulando sobre as músicas que irão tocar no show do Iron em SP, dia 02 de Março. 

Pode ser assim: 

1. Aces High 
2. 2 minutes to midnight 
3. Revelations 
4. Trooper 
5. Wasted Years 
6. Number of the Beast 
7. Run to the hills 
8. Rime of the ancient mariner 
9. Powerslave 
10. Heaven can wait 
11. Can I Play with madness 
12. Fear of the Dark 
13. Iron Maiden 

Bis 

14. Moonchild 
15. Clairvoyant 
16. Hallowed be thy name 

Na minha modesta opinião esse set list é quase perfeito. Mas isso é um gosto pessoal e, levando em conta o nome da turnê (Somewhere back in time), creio que teremos um dos melhores shows do Iron desde a World Slavery Tour, de 1985. 

Up the Irons!

Confirmado!

Iron Maiden confirma a primeira parte da sua turnê SOMEWHERE BACK IN TIME WORLD TOUR 2008. Apenas 2 shows serão no Brasil: um em São Paulo e outro em Porto Alegre. Será que eu vou? =P 

 

February 
Fri 1st – Mumbai, India – Bandra Kurla Complex 
Mon 4th – Perth, Australia – Burswood Dome 
Wed 6th – Melbourne, Australia – Rod Laver Arena 
Thu 7th – Melbourne, Australia – Rod Laver Arena 
Sat 9th – Sydney, Australia – Acer Arena 
Sun 10th – Sydney, Australia – Acer Arena 
Tue 12th – Brisbane, Australia – Entertainment Centre 
Fri 15th – Yokohama, Japan – Pacifico Yokohama 
Sat 16th – Tokyo, Japan – Messe 
Tue 19th – Los Angeles, USA -The Forum 
Thu 21st – Guadalajara, Mexico – Auditoria Telmex 
Fri 22nd – Monterrey, Mexico – Arena Monterrey 
Sun 24th – Mexico City, Mexico – Sports Palace 
Tue 26th – San Jose, Costa Rica – Saprisa Stadium 
Thu 28th – Bogota, Columbia – Simon Bolivar Park 

March 
Sun 2nd – Sao Paulo, Brazil – Skol Arena Anhembi 
Wed 5th – Porto Allegre, Brazil – Gigantinho 
Fri 7th – Buenos Aires, Argentina – Ferrofcarril Oeste Stadium 
Sun 9th – Santiago, Chile – Pista Atletica 
Wed 12th – Puerto Rico – San Juan Coliseo 
Fri 14th – New Jersey, USA – Izod Arena 
Sun 16th – Toronto, Canada – Air Canada Centre 

Abs